WWWE News: UFC Champ Brock Lesnar’s Illness “Roubado” The Beast of UFC Reign

O universo WWE esperou em garfos de tenda quando Brock Lesnar chegou ao fim do seu coito no início deste ano. Com o UFC ainda uma opção para The Beast, parecia que John Cena, Rusev, Triple H e o resto dos lutadores estavam destinados a perder o cliente de Paul Heyman. No entanto, Brock Lesnar surpreendeu o público ao optar por assinar novamente com a WWE. Com o jogo Hell In A Cell contra o Undertaker, Brock Lesnar foi visto como um dos melhores lutadores de hoje e é conhecido como uma forma segura de encorajar os telespectadores a se sintonizarem nos jogos da WWE. Em uma entrevista com “Stone Cold” Steve Austin, The Beast revelou que seu período na WWE teria sido encurtado se não fosse por uma doença que o impediu de voltar ao UFC.

“Senti-me roubado pela diverticulite”, revelou Brock Lesnar, referindo-se à doença que o levou a suspender seu campo de treinamento iniciado para prepará-lo para seu retorno ao Octógono. A estrela da WWE continuou dizendo: “Senti-me roubado por estar doente”. Eu estava me sentindo bem e levei alguns anos para começar a me sentir bem”. Estou em casa, estou fazendo exercícios, minha vida é ótima, tudo está em sintonia, meu contrato está chegando ao fim com a WWE, ei, tem sido um ótimo momento, mas falta algo””

De acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA (NLM), a diverticulite “ocorre quando sacos pequenos e salientes ou bolsas que se formam na parede interna do intestino (diverticula) ficam inflamados ou infectados”. A organização observou que esta doença é comumente encontrada no intestino grosso, particularmente no cólon. A NLM discutiu ainda que as pessoas que sofrem de diverticuloses normalmente não apresentam sintomas. No entanto, os pacientes terão inchaço e cólicas na porção inferior da barriga.

Referindo-se aos meses anteriores à sua decisão de voltar a assinar com a WWE, Brock Lesnar partilhou: “Fui frontal e totalmente honesto com a empresa e disse-lhes que estou realmente a pensar em voltar ao Octógono”. O lutador profissional acrescentou: “Eu comecei a treinar. Eu queria me testar e ver onde eu estava, não mais física, mas mentalmente. Queria ver os desafios mentais que ia enfrentar. Se a tua cabeça não está no jogo, o último lugar onde queres entrar é no Octógono. Foi muito injusto para mim. Até hoje, não sei se eu seria um lutador profissional se não tivesse ficado doente. Eu posso não estar aqui. Eu ainda estaria a bater com as cabeças.”